Fabio Renato Villela - Escritor

Lettre, l´art et la culture

Textos


De novo
 
Há tempo não a ouvia,
mas, eis que de novo, a lúgubre cotovia
grita a dor dos homens traídos
e a dos sonhos não amanhecidos.
De novo, o histérico riso das dementes
contrapõe-se ao silêncio das ausentes.
De novo, a solidão dos corpos perdidos
e a angústia dos delírios proibidos.
De novo, o exílio do mar distante
e a impressão de que o amor eterno
durou apenas um instante.
 
 
Fabio Renato Villela
Enviado por Fabio Renato Villela em 03/09/2016
Alterado em 03/09/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.fabiorenatovillela"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras